terça-feira, setembro 29, 2009

Inatividade física x Depressão x Osteoporose

Segundo mais de 23 estudos realizados por pesquisadores israelenses e publicados na revista "Biological Psychiatry", constataram a relação entre a depressão e da baixa densidade óssea através de um mecanismo que é a ativação do sistema nervoso simpático. Segundo Raz Yirmiya prof. Univ. Hebraica de Jerusalém, esse sistema, usado pelo cérebro para controlar os principais sistemas do organismo, como o cardiovascular e gastrointestinal, também controla as células ósseas por meio de neurotransmissores.
A depressão aumentaria os níveis neurotransmissores no tecido ósseo, o contribuiria para um pico de massa óssea menor, perda de tecido e osteoporose. Favorecendo ainda níveis elevados de cortisol na corrente sangüínea.
Sempre com a depressão vem uma alteração no comportamento. A baixa densidade óssea pode ser causada por pouca atividade física, aumento do tabagismo, distúrbios nuticionais ou até a própria medicação ingerida, segundo a endocrinologista Marise Castro da Unifesp.
Pacientes deprimidos tendem a se movimentar menos. A atividade física estimula diretamente a formação óssea - e a falta dela pode comprometer a densidade do osso.
Os ossos são tecidos vivos que estão o tempo todo sendo reabsorvidos e formados, processo chamado de remodelação óssea. Durante a vida sofremos pequenos impactos que levam a microtraumas nos ossos, deixando-os mais frágeis. Os exercícios são um poderoso estímulo a remodelação, conforme explica o geriatra Salo Buksman, Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia.
Fonte: FSP, Saúde-C9, 26/09/2009

Nenhum comentário: